Corrupção na Europa pode custar até 990 biliões de euros por ano

Data: 20/03/2016
 





De acordo com um estudo realizado pela RAND Europe para o Parlamento Europeu, estima-se que a União Europeia sofra perdas anuais entre os 179 e os 990 biliões de euros devido à corrupção.

Baseando-se em diferentes cenários, o estudo "Cost of Non-Europe in the Area of Organized Crime and Corruption” afirma que a corrupção na União Europeia existe sob diferentes formas e tem vários efeitos a nível económico, politico e social.

Segundo o estudo, a corrupção na contratação pública pode chegar a custar cerca de cinco biliões de euros por ano. A deliberada exclusão de empresas para que haja apenas um fornecedor qualificado, assim como prazos extremamente reduzidos para a apresentação de propostas, são duas das práticas mais comuns nos processos de corrupção ligados à contratação pública.

Dentro da UE, os países com maior risco de corrupção na contratação pública são a Polónia, Roménia, Lituânia, Chipre e Croácia. Ainda de acordo com o estudo, a Polónia, por exemplo, em 2013 recebeu mais de 1,4 biliões de euros em fundos da UE, no entanto foi um dos países com maior risco de corrupção na contratação pública nesse mesmo ano.

Como medidas para a redução da corrupção, a RAND sugere a implementação de um sistema completo de e-procurement a nível europeu, que reduziria os custos e risco de corrupção nos contratos públicos em cerca de €924m por ano, o que corresponde a uma redução de quase 20 por cento dos custos atuais. Outra das medidas sugeridas é a criação de um organismo público europeu, cujo objetivo seria investigar casos de corrupção.
 

 


Notícias :
Contactos
 
Empresa
 
 
Localidade
 
 
* Campos obrigatórios